24/10/2019 - 12:36

Rui Costa vai à ANP em busca de medida para exploração de campos em terra de petróleo

O governador da Bahia, Rui Costa, no posto de presidente do Consórcio do Nordeste, busca solução com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para a continuidade de exploração de campos terrestres de petróleo visto os anúncios da Petrobras de desinvestimentos. Nesta quinta-feira (24), em Brasília, ele esteve com o diretor geral da ANP, Décio Oddone, acompanhado do governador da Paraíba, João Azevedo, e da vice-governadora do Piauí, Regina Sousa. O secretário executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas, também participou do encontro.
 
"Viemos conversar sobre novos investimentos, novos leilões e eventualmente alienações de áreas produtivas para que se gere emprego e renda nos estados do Nordeste", disse Rui Costa ao expor a preocupação dos demais governadores com a atitude adotada pela Petrobras. Ele destacou que os nove estados estão em busca de parceiros e soluções que permitam a continuidade da exploração desses campos, seja no licenciamento, no anúncio de disponibilidade para investidores internacionais, e outras medidas. O diretor geral da Agência classificou a iniciativa dos governadores como positiva e quer esta integração. 
 
Vazamento de óleo
 
Os governadores também pediram ajuda da ANP com orientação de técnicos especializados para o trabalho de proteção e contenção das áreas mais sensíveis atingidas pelo vazamento de óleo em todo o litoral do Nordeste. "Não dá para ficarmos só retirando óleo da área, sem limpar corais, manguezais. E estamos angustiados sem ter respostas", afirmou Rui.
 
Para o governador João Azevedo, se o governo brasileiro não tem tecnologia para responder ao vazamento, "está na hora de pedir ajuda internacional". Já a vice-governadora expôs a preocupação com a área econômica, que “já está amplamente afetada”.
 
Os governos dos nove estados nordestinos vão se reunir no início de novembro em Pernambuco com o objetivo de compartilhar e somar esforços frente aos prejuízos que o derramamento de óleo está ocasionando, todas as secretarias estaduais de Meio Ambiente devem participar dessa agenda.